Pet friendly: entenda como esses tipos de estabelecimentos funcionam

pet-friendly-entenda-como-esses-tipos-de-estabelecimentos-funcionam

Os tutores adoram sair com os cães para passear e quando o local não os aceita, eles costumam deixar o estabelecimento. Pelo menos, é o que sugere uma pesquisa feita com esse público. Segundo ela, 42% dos tutores já deixaram de frequentar um local comercial por não permitir que o pet entre junto. É para atender a esse público que alguns negócios estão aderindo ao pet friendly.

Trata-se de uma adaptação do espaço comercial, para que o animal de estimação possa frequentar o local e ainda ser bem recebido. Para isso, é preciso mais do que deixar o peludo entrar no local. O comércio considerado pet friendly deve se preparar para recebê-lo e até oferecer alguns mimos.

Ficou interessado? Então, saiba mais sobre o pet friendly para que você possa aproveitar as vantagens ao lado do seu amigo e quatro patas.

O espaço pet friendly entende a importância dos animais de estimação

De acordo com um estudo feito pelo Serviço de Proteção ao Consumidor (SPC Brasil), os animais de estimação são integrantes das famílias, para 61% dos brasileiros entrevistados. Vários dos tutores não se contentam em sair com o bichinho para passear pelas ruas. Eles querem poder ir aos locais preparados para receber animais.

Dos tutores entrevistados, 62% reclamaram da existirem poucos espaços pet friendly, ou seja, que aceite e receba bem os peludos. Esse público adoraria poder ir a uma loja ou até restaurante que estivesse pronto para receber esse integrante da família.

Esse desejo não acontece só no Brasil, onde há mais de 22 milhões de gatos e 50 milhões de cães nos lares. Como a necessidade vem crescendo pelo mundo todo, surgiu o termo pet friendly. Esse tipo de estabelecimento, além de permitir que o animal de estimação entre acompanhando o tutor, ainda se prepara para recebê-lo.

Para isso, o local conta com algumas facilidades ofertadas ao dono e ao cachorro como:

  • Caminhas para descanso;
  • Local para que o alimento do cão seja colocado;
  • Recipiente para água;
  • Sinalizadores de portas de vidro;
  • Saquinho, para que o tutor cate o cocô, caso o pet o faça no local;
  • Tapetinho higiênico;
  • Pano de limpeza;
  • Desinfetantes;
  • Coleiras, entre outros.

Quando o local é grande, é possível separar uma área para que a pessoa caminhe um pouco com o peludo. Dessa forma, ele se distrai, enquanto o cliente permanece no estabelecimento fazendo compras.

Claro que para que tudo isso possa acontecer, o dono do negócio precisa investir e adaptar o seu estabelecimento para ser pet friendly. Se você é um tutor apaixonado por seu animal de estimação, saiba que esse tipo de espaço está crescendo nas mais diferentes cidades.

Hotéis estão se adaptando
Para que o dono de um local de alimentação adapte o seu estabelecimento comercial, é mais complicado. Ele precisa ter um espaço só para donos de pet e, ainda, disponibilizar um funcionário responsável, exclusivamente, pela limpeza deste espaço. Isso é necessário para se adequar às normas da vigilância sanitária.

Já os hotéis, estão à frente. Há muitos que já se adequaram e contam até com um kit de boas-vindas para oferecer ao peludo viajante. Caminha, petiscos e outros mimos fazem parte do pacote.

Gostou das dicas? Quer receber outras e ter acesso a muito conteúdo sobre pets? Então, baixe o nosso app agora mesmo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Recent posts

Featured articles