Cinomose: saiba como prevenir os pets dessa doença no inverno

cinomose saiba como prevenir os pets dessa doenca no inverno

Conhecida como uma doença grave e que tem um alto índice de mortalidade, a Cinomose atinge apenas os cães e é uma patologia infectocontagiosa causada por um vírus. Conheça seus sintomas, saiba como preveni-la e, acima de tudo, descubra se existe a cura para esse mal.

Os sintomas

A Cinomose pode atingir inúmeras áreas da anatomia animal. Em geral, alguns dos sintomas mais comuns que o cão pode apresentar são:

• Secreção com pus na região do abdômen
• Apatia
• Perda de apetite
• Diarreia
• Hiperquatose dos Coxins, ou seja, tornar áspera a região almofadada das patinhas e nariz
• Vômito
• Febre bifásica
• Perda de peso
• Tosse
• Sangue nas fezes
• Fraqueza
• Perda de peso
• Secreções nasais e oculares
• Distúrbios respiratórios

Quando a doença chega a um estágio avançado, o Sistema Nervoso Central (SNC) é atingido e algumas funções correspondentes a ele também são afetadas, como a possível perda de visão, lesões na retina, tremores, convulsões, falta de coordenação motora, perda de movimentos parcial ou a paralisia completa, não conseguir ficar de pé e ainda choros, uivos e gritos estridentes sem motivo aparente.

A Transmissão

Por se tratar de um vírus, a transmissão pode ocorrer através do contato com as excreções e secreções de outros animais que estejam infectados pela doença, de estar em um local com essa disseminação, pelo ar ou até mesmo por conviver com ambientes que tenham sido contaminados.

Vale lembrar que o vírus costuma ser eliminado pelas fezes e pela respiração do animal contaminado por cerca de até noventa dias após a infecção. Portanto, qualquer contato com a boca ou com os dejetos desse bichinho pode ser uma porta para que a contaminação aconteça.

A prevenção

Como visto acima, a infecção pela Cinomose pode acontecer por diferentes fatores e alguns deles, como o ar, são praticamente impossíveis de serem controlados. Ainda assim, estar atento aos locais que o seu animal passeia, tomar cuidado com o que ele fareja na rua e evitar que ele coloque o focinho no que não lhe pertence, desde objetos de outros pets, até mesmo fezes, pode ser uma forma não apenas de higiene, como de prevenção.

Contudo, de nada adianta cuidar do comportamento do seu animal sem estar protegido pela ciência. Essa patologia tende a acometer os cães que ainda não terminaram o esquema de vacinas quando filhotes ou então os que não receberam o reforço anualmente.

Por isso, é fundamental que os novinhos recebam três a quatro doses da V8, V10 e V11 a partir dos quarenta e cinco dias de vida até que seu sistema imunológico esteja preparado para combater o vírus. E, quanto aos mais velhos, o tutor não pode esquecer-se de dar as doses frequentes para manter em dia a proteção.

Tem cura?

A Cinomose tem uma baixa porcentagem de cura, uma vez que ela enfraquece o sistema imunológico do paciente. Ainda assim, é possível tentar aplacar os sintomas com antibióticos para infecções secundárias, realizar fluidoterapia com soro para amenizar a diarreia, utilizar um anticonvulsionante para as crises e ainda suplementá-lo da melhor maneira possível. Essas etapas devem ser realizadas por um profissional e aqui a presença do veterinário é fundamental.

Gostou desse artigo? Não deixe de compartilhá-lo com seus amigos que também são tutores. Aproveite também para fazer o download do nosso aplicativo e ficar por dentro de todas as promoções e serviços que oferecemos! Esperamos por você!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Recent posts

Featured articles