Esporotricose em gatos: o que é, sintomas e tratamento

esporotricose-em-gatos-o-que-e-sintomas-e-tratamento

A esporotricose em gatos é uma doença que vem apresentando um grande número de incidência no Brasil. Essa realidade demanda uma atenção especial, pois o cuidado poderá fazer toda a diferença na vida do seu pet. Mas como ocorre a esporotricose em gatos? Neste post você descobrirá tudo a respeito dessa doença, além de conhecer a melhor forma de tratamento. Acompanhe!

Esporotricose em gatos: o que é?

A esporotricose é uma patologia provocada pelo fungo Sporothrix schenckii.

Este agente é responsável pelo surgimento de micoses subcutâneas nos felinos, nos cachorros e até mesmo nos seres humanos.

Assim, a doença pode ser transmitida quando o fungo entra na corrente sanguínea por meio de feridas existentes na pele ou por arranhões em espinhos.

Por arranhões em espinhos? Sim! Por esse motivo a esporotricose era conhecida como a doença dos jardineiros no século XIX.

Nessa ocasião, muitos desses profissionais foram diagnosticados com esse tipo de micose após apresentarem um contato direto com plantações de roseiras. Dessa forma, eles se arranhavam nos espinhos das flores e contraíam os fungos causadores da esporotricose.

No entanto, apesar da incidência em seres humanos, essa doença afeta com mais frequência os animais felinos.

Devido a isso, atualmente, esse diagnóstico apresenta uma ocorrência menor ao se tratar de cachorros e de seres humanos.

Como ocorre a transmissão da esporotricose?

Primeiramente, o fungo Sporothrix schenckii tende a se proliferar nos lugares em que os gatos amam passar uma boa parte do tempo: nas cascas de árvores, no solo e no caule de diversas plantas.

Assim, é comum que esses fungos fiquem presos nas unhas desses animais quando eles caminham por essas regiões.

Além disso, não podemos descartar a possibilidade dos pets se arranharem com possíveis farpas ou espinhos existentes.

Quais são os sintomas da esporotricose nos felinos?

Normalmente, o gato com esporotricose contém nódulos firmes que variam de um a três cm abaixo da pele.

Também podem ocorrer lesões ulceradas, apresentando feridas no nariz, na face e nas orelhas. Essa doença também é capaz de originar uma debilidade física, com alguns linfonodos ampliados.

É importante ter atenção em relação aos sintomas. Se a patologia não for tratada, poderá agravar, afetando as articulações, os ossos e o sistema nervoso do animal.

Como é feito o tratamento da esporotricose em gatos?

É importante ter em mente que, independente da doença apresentada pelo animal, às chances de cura serão bem maiores diante de um tratamento precoce.

Por esse motivo, a esporotricose nos gatos será erradicada de forma mais veloz se for descoberta em sua fase inicial.

Geralmente, o tratamento para essa patologia dura cerca de seis meses e pode apresentar um valor elevado.

Mas atenção: se os remédios forem suspensos antes da cura, os sintomas podem voltar a aparecer, intensificando as feridas novamente. Assim, para tratar o seu pet, o veterinário recomendará um antifúngico de uso mensal.

A dose do remédio será determinada com base estágio apresentado pela doença.

De um modo geral, é recomendado um semestre. No entanto, é comum que em dois meses as feridas da pele não se mostrem mais visíveis.

De fato, a esporotricose é considerada uma zoonose. Ou seja, ela é um tipo de patologia que pode ser transmitida aos seres humanos.

Entretanto, a boa notícia é que, devido à possibilidade de tratamento, na maioria dos casos a eutanásia não é mais recomendada.

Após ler sobre a esporotricose em gatos, faça o download do nosso aplicativo. É simples, rápido e gratuito!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Recent posts

Featured articles