4 sinais de que seu pet está precisando de uma terapia

4-sinais-de-que-seu-pet-esta-precisando-de-uma-terapia

Os pets são seres sociáveis. Não é à toa que a maioria das pessoas é apaixonada pelos seus animaizinhos. Muito emocionais, sensíveis e intuitivos, eles precisam de carinho e interação, principalmente de seus donos, por quem criam um amor incondicional.

Mas, e quando o animal parece distante e solitário, mesmo recebendo toda a atenção do mundo? É bastante comum que apenas as mudanças físicas do pet sejam observadas, quando muitas vezes são as questões mentais que o estão prejudicando.

Certas situações, como a chegada de um novo bebê ou o distanciamento de um membro da família, podem deixá-lo depressivo, assim como os seres humanos.

É bem provável que você esteja se perguntando como saber, afinal de contas, se o seu bichinho não está bem e precisa de ajuda psicológica. Acertamos? Então fique com a gente para descobrir os principais sinais de que o seu pet necessita de algumas boas sessões de terapia.

Quais situações podem deixar seu pet deprimido?

Falar sobre um ou dois motivos capazes de deixar um animal triste é bastante superficial. O motivo? Eles são parecidos com os humanos, ou seja, extremamente complexos. Por isso, o desanimo e os sentimentos depressivos podem surgir por diversas causas, entre elas:

  • Perda ou afastamento de uma pessoa: se alguém que convive com os animais vai embora ou falece, é bem provável que surjam diversos sinais negativos nos bichinhos, já que eles não foram feitos para sofrerem rupturas;
  • A chegada de um novo membro da família: pode ser um bebê, um parente distante que vai passar um tempo na sua casa ou até mesmo um casal que decidiu morar junto. Definitivamente, os animais podem se afastar por questões de ciúmes, até que haja uma conexão com o novo morador;
  • Mudanças na programação: se o seu pet está acostumado com uma rotina e, sem mais nem menos, ela é alterada, o efeito pode ser devastador, principalmente quando isso significa uma alteração nos horários de sono do seu amigo.
Fique de olho no comportamento do pet

Entre os principais sinais de que algo não está certo, estão:

1. Falta de apetite e perda de peso

Um animal que não para de perder peso ou que simplesmente não liga mais para a comida pode estar passando por momentos de profunda tristeza. Isso porque, nós sabemos que a alimentação é uma das atividades favoritas dos pets e que não é comum eles negarem ração ou petiscos.

Caso essa situação aconteça, não pense duas vezes e procure um veterinário quanto antes. Essa atitude pode frear a ansiedade do bichinho e fazê-lo voltar a se alimentar corretamente, sem consequências ruins e sem baixa na imunidade.

2. Distanciamento e mania de se esconder o tempo todo

Já é da natureza de alguns animais, como os gatos, procurar os lugares mais improváveis para se esconderem e tirarem um cochilo. Mas quando esse comportamento muda de “às vezes” para “o tempo todo”, pode ser um indicativo de que as emoções negativas estão por perto.

O mesmo pode acontecer com os cães, claro. Quando eles não fazem muita questão de estarem perto dos donos, como antigamente, tornando-se antissociais, é preciso ficar alerta. O mais indicado, nessas situações, é tentar alegrá-lo ou dar algum petisco sempre que ele interagir, para que ele mantenha o comportamento.

3. Falta de ânimo para brincar

Qualquer tipo de exercício ou atividade faz muito bem aos animais. Assim como os humanos, os pets se beneficiam e, acima de tudo, adoram dar algumas voltas ou correrem de um lado para o outro. Portanto, se eles começam a se interessar menos pelos passeios diários ou por buscarem a bolinha arremessada, é possível que a alegria tenha ido embora.

4. O lugar de fazer “sujeira” já não é mais o mesmo

Certo, vamos admitir, nem todo animal de estimação é amante de um lugar limpinho e fresco. Mas, quando eles são ensinados onde devem fazer suas necessidades, é bem improvável que isso mude, simplesmente por uma questão de hábito.

Assim, defecar ou fazer xixi em lugares completamente aleatórios, pode indicar tristeza e estresse. Para tentar ajudar seu bichinho, é possível espalhar mais caixas de areia ou tapetes pela casa, para que eles tenham mais opções. Porém, se mesmo assim nada funcionar, leve-o imediatamente ao veterinário.

Além de levar meu pet para a terapia, o que mais posso fazer para ajudá-lo?

Um especialista vai saber exatamente como ajudar seu amigo, mas existem algumas tarefas simples que podem estimulá-lo e, junto com o tratamento, trazerem excelentes resultados, como:

  • Exercite seu pet: mesmo que ele não esteja disposto, faça um esforço e encontre atividades diferentes e que exijam menos movimentação;
  • Forneça desenvolvimento mental: você pode levar seu animalzinho para dar um passeio de carro, interagir com outros pets ou visitar um adestrador;
  • Dê o espaço necessário: por mais que tentar alegrar nossos bichinhos seja a prioridade, muitas vezes é preciso parar de sufocá-los e dar um pouco de espaço. Se todas as suas tentativas deram errado, não o force a nada, principalmente a visitar locais lotados ou interagir com pessoas que não são da família. Uma boa opção, para evitar que ele simplesmente corra e se esconda de todos, é fornecer uma caixa segura e deixá-lo em seu próprio espaço por algum tempo.

Gostou de descobrir mais sobre o assunto? Então baixe agora mesmo o nosso app e tenha acesso a serviços, promoções e dezenas de dicas preparadas com todo o carinho para você e seu pet!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Recent posts

Featured articles